rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quarta-feira, agosto 29, 2007

Tempo de férias...

O bronze ainda não chegou... mas "quem espera sempre alcança"!

terça-feira, agosto 28, 2007

D. João Peculiar lança o alerta à cristandade!!!

Com a taxa de natalidade a descer, o islamismo vai dominar a cristandade!!!




A crise chegou, danada,

Até à procriação

Fazer filhos é missão

Cada vez mais olvidada!


"Crescer e multiplicar"

Era lema bem cristão

Factor de santa expansão

Que importa sacramentar!


O islamismo a subir

De uma forma galopante

Há que encetar doravante

Um incentivo ao parir!


Taxa de natalidade

Sempre a baixar, a baixar,

Onde é que iremos parar

Ó bendita cristandade?!


Há que tomar precauções

O sexo dignificar

E quem mais fertilizar

Deve ter compensações!


Falos em riste, cristãos!

Esta hora é decisiva,

Se o sexo não se incentiva

O mundo verga aos islãos!


D. Afonso Henriques é

Símbolo procriador,

Do cristianismo expansor

Falocrata... mas com fé!


D. João deixa recados

Mensagem subliminar:

É preciso procriar

Ou seremos dominados!


Seguir à risca um conselho

A todos eu quero dar:

Vamos mas é procriar,

Seja novo ou seja velho!


Fala agora o realismo

Com calma e tranquilidade:

Ou sobe a natalidade

Ou submerge o cristianismo!






Apagou-se um sol... ficou um "buraco negro"...


A Cultura seus astros lá vai tendo...
Porventura os seus sóis, também cometas;
Brilhando por si próprios, ou vivendo
Sob a luz das estrelas: os planetas!
Agora se apagou um sol brilhante
Que ofuscava, por vezes sem querer...
Resplandecente, sendo iluminante
Dava luz, também dava p'ra aquecer!
Torrencial farol de lucidez
Tão complexo, quiçá paradoxal,
Foco de erudição, com altivez!
Foi-se o sol... mas deixou fulgor mental...
Ficou "buraco negro"... ou talvez
Um vazio perene e intemporal!
Em memória do professor Eduardo Prado Coelho, um pensador prolixo, um ensaísta convicto, um educador na mais ampla acepção do termo. Que o seu legado frutifique como a semente de árvore frondosa que importa preservar para todo o sempre. Adeus, professor!

segunda-feira, agosto 27, 2007

Águia: do pesadelo ao sucesso!


Ainda no Brasil, com as cores do Flamengo, Rouxinol de Bernardim, o craque que viria transformar a alma da águia: o rosa virou encarnado puro!
O Milagre da Luz!!!
O Benfica agonizava
Desde que "rosa" vestia
A águia já não ganhava
Só empatava ou perdia...
Mudança de treinador
Não deu qualquer resultado
A águia já sem fulgor
Passarinho depenado...
Até alguém se lembrar
De quebrar o triste enguiço :
Era preciso mudar
O feiticeiro e o feitiço!...
A águia , belo exemplar,
Como a Fénix, eu diria,
Começou logo a voar
Com garra, força e alegria!...
Que mudança aconteceu
Na malapata encarnada?
Aos serviços recorreu
De uma "vedeta" afamada!
O Vieira contratou
Ao Flamengo, o craque-mor...
A alma da águia mudou
E mudou para melhor!
A Vitória já sorria...
O passado ... foi com Deus...
Voava com alegria
À derrota disse adeus...
Mudança tão radical
Nunca se viu coisa assim!
Até mudou Portugal:
"Rouxinol de Bernardim"!

domingo, agosto 26, 2007

Pátrias Irmãs

PORTUGAL E BRASIL: PURA FRATERNIDADE!
Portugal e Brasil pátrias irmãs
Procuram relações mais cordiais
Práticas mais concretas e mais sãs
Sem ferirem orgulhos nacionais!
Dar as mãos, fomentar fraternidade,
Fortalecer os laços ancestrais
É urgente, quiçá prioridade,
Cortar nós burocráticos formais.
Portugal e Brasil, duas bandeiras,
Com ânsias de progresso, liberdade,
Ao mundo procuram abrir fronteiras...
E preservar a sua identidade,
Sabemdo bem que às vezes as barreiras
São questões de mera formalidade.

"Poveirinhos pela graça de Deus"


O jornalista-escritor poveiro José Azevedo, acaba de lançar mais uma obra-prima. Sobre a colmeia piscatória de Póvoa de Varzim e os seus meandros e tipicismos.
Ao "patrão da lancha" que seguindo na esteira de Santos Graça nos fala com sensibilidade e mestria da epopeia desta comunidade humilde e laboriosa, desejamos que a obra tenha o êxito esperado e merecido.
Aqui vai uma singela homenagem, ao escritor e simultaneamente a toda a comunidade tão bem retratada. Esperamos continuar a deleitar-nos na última página do Comércio da Póvoa.
Bem haja!
"POVEIRINHOS PELAGRAÇADEDEUS"
Nesse café da Guia, junto ao mar
Lá vai entretecendo fios, teias,
A memória poveira a preservar
Mar imenso de histórias e de ideias.
Qual manta de retalhos desta vida
Sempre ligada ao mar, com laços fundos,
O José Azevedo nos convida
A ver a Póvoa: gentes e seus mundos...
Esta idiossincrasia singular,
Que vai do trajo ao próprio linguajar
Mostra quão genuíno é o poveirinho...
É tão exuberante a festejar
Sempre gregário, nunca anda sozinho,
À terra tem acendrado carinho!

Pedro Santana Lopes: o olhar "clínico" sobre o PSD!




Pedro Santana Lopes diz:
"O PSD tem de viver sem comprimidos!"
"Até pode ser que se aguente (o PSD) mas mais dia menos dia, vai ter de ir à faca"!
Luís Filipe Menezes disse: "Estou preparado para o combate. Um combate que querem lamentavelmente "sujo".... procuram atacar a minha personalidade, o meu carácter, a minha vida pessoal e familiar, a minha honorabilidade"
in Correio da Manhã 23-8-2007
Depreende-se que está prestes a abrir o "combate". Os lutadores estão a preparar-se para o ringue. Santana Lopes diz que os "comprimidos" devem ser erradicados. O PSD
depreende-se que anda a ser medicado. Por quem? Com que intuitos?
Enfim, um médico prepara-se para correr à liderança. Será que o PSD está mesmo doente?
Já foi feito o diagnóstico? Soluções?!
Não sou militante do partido, sou-o apenas da democracia. Para que esta seja saudável interessa que os partidos o sejam. Importa que haja seriedade e salubridade a todos os níveis. Sejamos honestos.
O Dr Menezes tem atacado o carácter do seu adversário. Nunca vi o seu adversário atacar o Dr Menezes em questões do foro familiar, ou de vida pessoal.
O Dr Menezes para sobressaír, procura a autovitimização, o "coitadinhismo", esperando que isso lhe traga dividendos. Está no seu direito. É uma conhecida técnica que às vezes dá resultados.
Critica o excessivo peso do Estado. Está a fazer um diagnóstico que já é um lugar comum.
Perguntar-se-á:
Que exemplos tem dado o Dr Menezes para minorar o peso do Estado?
Será que a câmara de Gaia é um exemplo a seguir? Será que o despesismo supérfluo foi expurgado e a câmara "emagreceu", está na "linha" perfeita?
O Dr Menezes critica o Estado mas vive à sua custa há anos; ele tem permitido que esse Estado seja pesado e gordo graças a um despesismo exorbitante, com reflexos perniciosos na estrutura económico-financeira da autarquia; ele apoia uma regionalização mas ainda há bem pouco tempo era dos que bramavam contra ela acusando-a de ser foco de despesismo e de corrupção?!
Afinal quem é que tem carácter? Onde está a coerência?
Será que é por causa disto que há "comprimidos" no PSD? Serão para "adormecer"?
Não voto nas "directas" do PSD, mas, de fora, não posso deixar de me preocupar com o que se passa lá "dentro"... Será que Santana Lopes quer que o partido vá "à faca" para acabar com os "comprimidos" que já nada fazem, limitam-se a mero paliativo para aliviar as dores, não indo ao âmago do problema?
Com "comprimidos" ou sem "comprimidos" o PSD está enfermo e creio que nenhuim dos candidatos irá ao cerne da questão: credibilizar e dar uma linha de rumo coerente, sustentável, saudável e impregnada daquela dose de seriedade que deve ser apanágio das instituições verdadeiramente dignas. Há "fumos" que importa banir e expurgar por serem fautores de desconfiança e de menos-valia moral. Sei do que falo pois já estive bem dentro da máquina e saí de motu próprio, fartinho de traições e de facadas nas costas de alguns arvorados em detentores da verdade mas apenas interessados na sua conta bancária e em saciarem o seu voraz apetite pelo vil metal.
Nem Santana Lopes nem Menezes são líderes de dimensão moral credível. Marques Mendes continuará a ser o tal "líder de transição"... porque no actual contexto é apenas "o mal menor"...

sexta-feira, agosto 24, 2007

PORTUGAL: um manicómio potencial?!

A Mulher continua a ser alvo de prepotência e de discrimanção.
Às vezes o assédio sexual, se não consumado, dá azo a perseguições impiedosas. A loucura alastra quando a higiene mental dos nossos políticos anda pelas ruas da amargura!

Alguns.. até são médicos!!! A doença é pandémica!!!




"Assédio sexual!", diz
Uma senhora de bem!
O Macário contradiz:
"Essa mentira contém
Doses de esquizofrenia
Montes de patologia!"...

Mas, em quem acreditar?
A quem há que dar razão?
Quem estará a aldrabar?
Vem depressa ó Salomão
Julgar com sabedoria
Esta questão doentia...

Será esquizofrenia?!
Ou será perseguição
Do líder da autarquia?
Este é o cerne da questão!
De quem será a loucura?
Há que julgar com lisura!...

O poder é esquizofrénico
Faz o mal e a caramunha!...
É sujo, pouco higiénico,
Despreza a lei, ama a cunha!
Isto de esquizofrenia
Já tresanda a pandemia!...

Era assim no "antigamente"
Quem não vergava era "louco"!...
O poder era demente...
Mas agora mudou pouco
O "fascismo" continua
É a verdade nua e crua!!!

Refascização a andar
É na Póvoa, é no Funchal,
Em Tavira... se calhar...
Está louco Portugal
Manicómio nacional?!

Aldina Duarte: o aroma de um Fado imortal!


Alma pura e cristalina
Uma voz celestial
Água pura, esta Aldina
Neste mar que é Portugal!
O Fado tem mais encanto
Nesta voz que nos fascina
Por isso gostamos tanto
Do Fado na voz de Aldina!
Na alma penetra bem
É tónico sem igual
Por isso é que o Fado tem
Sido canção nacional!
Aldina, grata fragância,
Flor neste Fado-jardim...
A mais discreta elegância
Com cheirinho de alecrim!
E quem a História fizer
O Fado não pode olvidar
Aldina, se Deus quiser,
O há-de imortalizar!!!

quinta-feira, agosto 23, 2007

Será da inveja?!!!




Dizem que a torre dos Clérigos não morre de amores pela torre de Belém!
Não, não é inveja! a inveja é outra coisa...
Anda por aí, raivosa,
Num mar de sofreguidões
Atacando, indecorosa,
Gente boa e generosa
A quem chama de ..."barões"!
A inveja anda por perto
Só usa maledicência
Não ataca a céu aberto
Anda co'o rosto encoberto
Às vezes... é pesporrência!
Existe à esquerda e à direita
No desporto é bem frequente
O mal dos outros espreita
E com ele se deleita
A inveja... não é gente!!!

Lei de Gresham: continua a ser trampolim para o êxito!




A MOEDA MÁ AFASTA A MOEDA BOA...



Neste mundo tão louco, esquizofrénico,
"Vã glória de mandar", é obsessão!
Crescer mais e mais... qual milho transgénico
Leva a desconfiar, ter precaução!

Moeda má afasta a outra, a boa,
A lei de Gresham reza, faz pensar,
Gente reles um hino ao "chefe" entoa:
Moeda má... com ânsias de trepar...

E o "chefe", má moeda, faz subir
Gente vil, sem perfil, mas de canina
Fidelidade!... Gente de servir!

É este o nosso mal, a nossa sina,
E quem quiser trepar, ao topo ir,
Seja moeda má!, a lei ensina!...
.


Lei de Gresham: Num dado país, havendo duas moedas legalmente a circular, a considerada melhor, tende a desaparecer da circulação...

terça-feira, agosto 21, 2007

DENÚNCIA DE CRIME GRAVE!

Fernando Santos foi confessar-se. O próprio padre ficou irritado com os seus pecados!





Ele ajoelhou-se, fez o acto de contrição, pôs a mão no peito com ar arrependido e disse:
__Padre, quero confessar-me...
__Caríssimo paroquiano, sempre tão cumpridor, tão atento aos nossos problemas, que pecados queres tu revelar?...
__ Fui despedido de treinador do Benfica! Devo ter cometido muitos pecados para isso! Não foram veniais de certeza!...
__ Veniais e capitais tu cometeste muitos, de facto...
__Mas padre... vós sabeis algo? Será que os meus pecados já andam assim na praça pública?!
__Meu filho, eu sou benfiquista, já pequei muito por tua causa. Nem imaginas os palavrões que já te lencei, Deus me perdoe..
__Mas.. que mal fiz eu então?
__Nem precisas de confessar meu filho. Tu mandas os jogadores deixarem a pele em campo mas tu, impávido e sereno, não mexes uma palha, estás ali, com aquele ar de múmia paralítica, ensimesmado a pensar na morte da bezerra, nada fazes...
_Mas querias que eu fizesse aquelas palhaçadas do Trapattoni, sempre a gritar e a gesticular "mamma mia!" para aqui, "porca miseria!" para ali, mais parecendo um Jardim com bichos carpinteiros do que um treinador sério e credível?!
__Tens que se justificar o salário, meu amigo! Tu, que lês tão bem na missa, tinhas uma péssima leitura de jogo!
_Como assim padre?!
__Tu não tens a noção da dinâmica, da adequação rápida aos movimentos do adversário. Tu és um estático, um introvertido, um" nem sei que te diga"... Olha, contra o Leixões, começaste muito bem, mas depois... Era preciso abrir aquela frente de ataque, pôr dois extremos colados à linha para abrir aquela floresta de pernas. Era preciso não afunilar jogo, era necessario ir à linha de fundo e fazer centros atrasados para a cabeça do Óscar Cardozo, ou para os remates dos médios vindos de trás, embalados... tu permitiste precisamente o contrário! Assim, não! Se fosse no "inferno da Luz" já estarias chamuscado, mas como era no Bessa...
__Mas padre, vós sabeis muito de futebol. Como foi possível nunca me teres dado alguns conselhos!
__Dou-te aqui no confessionário que ninguém ouve. Se fosse lá fora diriam que eu estava a ensinar o "padre nosso ao vigário" ou a "meter a foice em seara alheia"! Era um grande pecado!
__De facto, vendo a coisa por esse prisma, estais pleno de razão. Mas estou vendo que hoje pareceis mais magro, mais jovem, com voz mais estridente...

De rompante Fernando Santos levantou a cabeça que mantivera sempre respeitosamente em baixo e... reparou que não era o padre confessor que ali estava mas sim o "Gato Fedorento"! Esse mesmo, o Ricardo Araújo Pereira!!!

Fugiu a sete pés e foi fazer queixa na esquadra mais próxima. Pelo caminho pensou melhor e não foi. Que diriam dele lá na esquadra? Seria lá possível uma coisa destas? Iria ser ridicularizado para o resto da vida. Não foi e fez bem. Há coisas que nem ao diabo lembrariam!...

Seria lá possível Ricardo Araújo Pereira andar por aí disfarçado de padre?!!! Crime grave. Nem pensar!!!

segunda-feira, agosto 20, 2007

AUDIÊNCIA A BENTO XVI!


Bento XVI disse então: "Rouxinol, tu és capaz de ter razão!..."
Ir a Roma e não ver o Papa era inaceitável para mim. Seria algo de que me iria arrepender para o resto da vida. Assim, pensando nas indulgências a receber por mim e por minha família, lá fui a Castelgandolfo, residência de férias de Sua Eminência o papa Bento XVI.
O primeiro objectivo era apenas uma bênção informal. Mas, por extraordinário que pareça, as coisas proporcionaram-se de forma diferente. Confundiram-me com uma alta individualidade que estaria para ser recebida nesse dia e fui convidado a entrar...
De sorriso aberto, ar confiante, lá fui ao encontro de Sua Eminência o Santo Padre. Ao entrar nas instalações, como que por encanto, levantou-se uma brisa forte e completamente inesperada pois o dia estava calmo, muito quente e sem ponta de vento. Seria algo de sobrenatural?!
Não sei. O certo é que fui recebido como se fosse uma autêntica sumidade, uma figura de proa no actual contexto multi-religioso, diria que, quase um "guru" do ecumenismo!
Eu, um pobre diabo, pouco temente a Deus e pouco dado a liturgias e a manifestações ostensivas da fé, ser recebido assim, era estranho. Estranhíssimo!...
__Muito obrigado pela tua aceitação do meu convite!__ disse o papa!...
__ Mas eu... __ balbuciei temeroso e confuso... e não era para menos.
__ Não sejas modesto. Agradeço a tua contribuição para a renovação da Igreja. O primeiro passo, esta abolição do Limbo, foi graças a ti, que reconheço teres dado um impulso muito clarividente. Deves ter tido uma inspiração divina.
__ De facto... __ prossegui timorato e meio enrubescido pelo elogio __ eu pensei sempre que o Limbo tinha sido uma espécie de "exclusão de partes", uma coisa sem nexo nem cabimento...
__ Sim, Rouxinol de Bernardim__ disse Bento XVI com ênfase __ não tinha qualquer razoabilidade lógica nem cabimento doutrinário minimamente credível tal estatuto. O meu comité de sábios, vocacionado para estes temas mais controversos, acabaria por te dar razão, daí eu ter mandado abolir esse conceito de Limbo...
__ O pior __ disse eu __ é que tive um sonho...
__ Conta lá, Rouxinol, conta lá! __ disse o papa com um gesto apelativo irrecusável, abrindo os braços e com o cabelo completamente desgrenhado pela forte ventania... olhava-me com um olhar magnético que jamais olvidarei... Então, prossegui relatando o sonho:
__ Sonhei que virá um outro papa, conhecido pelo nome de Racional, que abolirá os conceitos de Céu, Inferno e Purgatório!
__ Mas... será possível?! Isso para já não tem cabimento!... __ disse quase colérico.
__ Vossa Eminência sabe que tanta coisa não tinha cabimento há centenas de anos e agora é tão natural, "tão natural como a sua sede"... daí que, não sei se este sonho será de inspiração divina, uma antecipação do futuro. Quem sabe se no sonho Deus quis dizer que tudo são parábolas, metáforas, coisas pedagógicas para fins específicos em determinados contextos...
__És capaz de ter razão, Rouxinol! Não quero que a glória de decretar essa extinção caiba a um outro papa. Vou estudar o assunto e prometo fazer o melhor que for possível. De facto já tinha pensado nisso. Este conceito de "céu" como o vêem os muçulmanos (com as virgens e coisas do género, tem sido altamente pernicioso), talvez os caminhos do futuro sejam esses, de facto. Deus é capaz de se ter servido de ti para transmitir uma mensagem moderna e realista.
__ Eu nada sei__ disse eu com humildade. __É apenas um sonho e relato o que me foi transmitido, com as devidas reservas e a cautela indispensável. Não sou nem me sinto um profeta. Sou apenas um bom condutor de mensagens e de ensinamentos. Tenho tantas limitações, tantos pecados, tantas fragilidades...
__É nessas pessoas como tu que a palavra de Deus penetra com mais fulgurância! Vou pensar na abolição desses conceitos. Vou pedir ao colégio de sábios que veja a melhor forma de resolver já a situação, para que recaia sobre o meu papado o honroso epíteto de "Racional", com que a História há-de premiar quem chegar a essa conclusão tão positiva e sensata.
Dito isto, o papa como que se volatilizou, os cabelos ficaram mais eriçados ainda e um barulho enorme e ensurdecedor acompanhou esta transfiguração...
O vento, naquela noite, tinha sido fortíssimo. O temporal teimava em não amainar. Próximo da janela do meu quarto, uma floreira caíu, e o enorme vaso de flores estatelou-se no solo com fragor. Então, acordei do sonho...

domingo, agosto 19, 2007

Chavez "versus" Bush! O diabo que escolha!...




Hugo Chavez e George W. Bush são, cada qual à sua maneira, dois "excessivos" no concerto democrático mundial...
Longe vão os tempos em que, sob o manto diáfano do "internacionalismo proletário", o imperialismo soviético procurava a hegemonia mundial face ao seu mais directo rival:
os USA.
Passou a era da "guerra fria", mudaram os principais actores na cena universal, os então denominados "não-alinhados" hoje já não constituem um poder organizado com pretensões a ser alternativa aos dois "grandes blocos"...
Assiste-se, isso sim, a um fenómeno curioso: Hugo Chavez procura ser um "herdeiro" de Fidel Castro no xadrês latino-americano, tentando aglutinar forças no sentido de minimizar os efeitos do "bushismo" a todos os níveis. Num estilo populista e algo quixotesco tem arrebanhado alguns Estados sobretudo à custa de uma arma hoje em dia poderosa: o petróleo...
Bush, cada vez mais desacreditado internamente, cada vez sentindo mais os efeitos do incontrolável "vespeiro" iraquiano, continua num plano inclinado rumo ao inevitável abismo.
Bush é responsável por um Estado Democrático mas invadiu o Iraque violando os mais elementares princípios do direito internacional. Os USA recusam o protocolo de Kioto e não querem subordinar-se ao TPI. Enfim, julgam-se polícias do mundo, e, de forma um tanto arbitrária, tentam perpetuar a hegemonia a nível universal.
Haverá credibilidade para criticar Chavez (que agora pretende "legalizar" uma subtil perpetuação no poder, um pouco sob a esteira de Fidel) na cena internacional?
Chavez procura dar uma "capa legal" à sua ânsia de perpetuação no pódio. Bush não respeitou a "capa legal" (direito internacional) para invadir o Iraque. Quem é mais autocrático?
Democracia é palavra susceptível de variegadas interpretações, de múltiplas cambiantes, de plurifacetadas leituras. O império da lei, quantas vezes feito à custa de uma excessiva governamentalização da justiça, tem dado azo a ditaduras com rótulo democrático. Hitler fez o que fez graças ao suporte fiel e servil de magistrados corruptos, venais, sem dignidade. Daí que em Nuremberga a História tenha lançado para a "vala comum" os magistrados responsáveis pelo massacre judeu e pela cadeia de violências e ilegalidades perpretadas. Hitler não estava sozinho.
A justiça é um pilar fundamental num Estado de Direito. Se essa justiça claudicar, se se deixar subornar, abastardar, seviciar pelo poder, então a democracia estará ferida de morte.
Hugo Chavez procura ter cobertura legal. Se o conseguir, quem o poderá chamar de ditador, mesmo sendo-o de facto? Se a constituição permitir (e der beneplácito a) uma espécie de monarquia em regime republicano, de consagrar uma certa forma de "perpetuação no poder", quem poderá retirar-lhe o rótulo democrático?
Quando vemos, no nosso próprio país, pessoas arrogando-se o direito de contestar a legalidade vigente, sob os mais ridículos pretextos, e sendo essas pessoas tidas por "democratas", como poderemos chamar "ditador" a Hugo Chavez?
O país vive em autênticos micro-climas (politico-administrativos) onde a legalidade é coisa decorativa e supérflua, imperando, de forma despudorada, o caudilhismo bacoco, o populismo degradante, acobertado pelo manto diáfano da clubite aguda, assemelhando-se a monarquias autocráticas e despóticas, que moral há para lançar Hugo Chavez no pelourinho?

sexta-feira, agosto 17, 2007

Narciso, quase no céu!...


O "sorriso" irónico de Maomé!...
Ele não tem culpa que haja fanáticos!...
O cónego Narciso, qual vestal
Na cripta do Sameiro, branca pomba,
Aura de santo, odor celestial...
Só falta... a "angelical e casta" bomba!!!
Três papas dão-lhe um ar bem triunfal!
O Bispo, dá caução e cobertura...
Não podendo aspirar ao "céu real"
Fica no "céu vaidoso"... da pintura!
Estátua já não quer, fica guardada,
Corria o risco sério de agressão,
Ensanguentada ou... alvo de explosão!
À bomba fica a Igreja "acorrentada"
Islamismo ri!... forte gargalhada!
E o Povo?!... só aguarda... a remoção!!!

Viva a "faustosa" procissão! O mundo esta feira de vaidades!




Em Darfur a "procissão" da fome e da miséria...
A "majestosa" procissão!...
A procissão lá vai
"majestosa", "imponente",
dourados refulgindo,
andor cai-que-não-cai...
à frente... o presidente...
a música atrás, luzindo,
foguetes em abundância
é só pompa e circunstância!
Em Darfur a "procissão"
da fome e da besta guerra
o calvário belicista
tanto ódio, ambição
tanta miséria ela encerra,
este mundo egocentrista
uns: reles protagonismo!
outros: miserabilismo!
Festival esbanjador
a Igreja dá guarida
não lhe pesa a consciência!
Que pensas Tu, ó Senhor?!
Tanta miséria escondida
tanto pobre sofredor
nesta feira de vaidade
cai ... o Carmo e a Trindade!

quarta-feira, agosto 15, 2007

JANICEFALIA DA JUSTIÇA!




Certa justiça, tal como o deus Jano,
tem duas cabeças....
Também há cabeças que se deixam manipular...
Não, à governamentalização!
Não, ao abastardamento!
Não, à genuflexão ao poder!
Não, aos "capturados"!
Vejo duas justiças frente a frente:
Uma, é servil, venal, verga ao poder,
Venera o vil metal; outra, é diferente:
Limpa, frontal, seu "clube" é o dever!
Isenção é precisa, sem demora,
A justiça, sem ela é uma miragem;
Na balança, o poder fica de fora,
Se não ficar... deturpa a sua imagem!
Raças, credos, ideias, preconceitos,
Devem ficar à margem, não pesar
Nos pratos da balança, nem nos pleitos.
Juiz que se deixar manipular,
Subornar, subjugar aos seus defeitos...
Importa da justiça erradicar!...

Miguel Torga: ínclito cidadão...



Torga é raiz, é planta imorredoura
Perene encarnação da lusa gente;
Torga é também matriz tão duradoura
Que se perpetuará eternamente!


Rosto aquilino, quase escultural,
No granito moldado com mestria,
Fidedigno reflexo intemporal
De paixão bem telúrica, diria.

Amando os bichos, serras e até rios...
Gentes... com suas festas e seus brios,
Crítico do poder, não reverente!

Não cedeu às loucuras, desvarios,
Defensor desta Pátria, intransigente,
Ínclito cidadão, foi obviamente!

segunda-feira, agosto 13, 2007

Portugal amordaçado?!




Eça, esse "monstro-sagrado" das Letras, que diria do actual "status quo" poveiro?!
Eu, com a minha humilde pena, digo apenas, parafraseando o Mestre: A CHOLDRA CONTINUA!
No Reino do idiotismo
Com tanta estupidez crassa,
Como quem faz exorcismo
Temos que usar a chalaça!
Exorcizar os fantasmas
Do neofascismo à solta;
Afastar senis miasmas
Que causam nojo e revolta!
No charco lançar pedrada,
À "choldra-promiscuidade"...
À imprensa hipotecada
À rádio-venalidade!
Delito de opinião
É censura castradora
É vil açaime à razão
É mordaça repressora!
Honra a quem sempre resiste!
E teima em dizer que não
Ao populismo que insiste
Ser porta-voz do... cifrão!...
Honra à não-subjugação
Que ri de falsas sondagens...
Opróbrio à servidão
De hipócritas criadagens...
Aos cambalachos "doirados"
Contemplando a "clientela"
O povo grita: «Safados!
Só quereis mas é gamela

sábado, agosto 11, 2007

HERÓIS DO PEDAL!

José Azevedo, o "falcão" de Vila do Conde
Energia sobrehumana
Conquistando Portugal!
Pura "raça lusitana"
São os ases do pedal!...
São Barbosa, são Cabreira,
É o Azevedo-falcão...
É uma nação inteira
Com eles no coração!
Arrastando multidões
Aí vão os corredores
Se caem, dão trambolhões,
Mas... nunca sentem as dores!
Alma viva, em carne-viva,
E tem alma o pelotão!
Força de locomotiva
Hercúlea demonstração!
As montanhas devorando
Apetite insaciável
A sede sempre aumentando,
Confiança inesgotável!
Sede de glória também
O doping-fama a clamar
Indo sempre mais além
Louca ânsia de ganhar!
Ambição a qualquer preço
Sem ter conta nem medida
Gera "monstros", bem conheço
No ciclismo... e até na vida!

sexta-feira, agosto 10, 2007

Portugal no coração dos emigrantes!






Linda de Suza e a sua "mala de cartão"
O verão é o "Ponto de Encontro" tão desejado!
Todos partilham a felicidade!
MATAR SAUDADES!
Nesta euforia sadia
Neste rever Portugal
Nas asas da nostalgia
A amizade é mais plural!
Um copo de verde vinho
Na alma penetra bem
Lá convive o Zé Povinho
Bebe saudade ... também!
Só a ausência prolongada
Dá corpo a esta paixão
Saudade da terra amada
É fornalha em combustão!
Cada pedra ou monumento
No regresso tem mais côr...
O rosto até ganha alento
O sol atenua a dor...
Emigrar é sortilégio
Que o português bem conhece
Pesadelo ou privilégio
Depende do que acontece!

quinta-feira, agosto 09, 2007

ERICEIRA: o doce encanto do "mare nostrum".







Ericeira: o mar, a piscina, o encanto! Uma flor do mar!
O sol acariciando
Com devotada ternura
A terra e a gente inundando
De felicidade pura!
Quanto saudade, sei lá,
A minh'alma já carrega
Uma terra assim não há
O meu coração não nega!
Aspirar a maresia
Provar uma caldeirada
Ericeira é, eu diria
Uma terra enamorada.
Uma doce nostalgia
Me arrasta para o passado
Vejo uma luz fugidia
Vejo o sol enevoado.
Neste barco da esperança
Navego rumo ao futuro
Que seja sempre bonança
Nesta vida eu só procuro!

terça-feira, agosto 07, 2007

Papa apela à partilha...




Papa apela à partilha entre os estratos mais favorecidos a fim de atenuar as desigualdades. Darfur, onde a fome e a guerra alastram...
A sociedade empanturra-se de comida e a obesidade é o retrato do "pecado" da gula!

Enquanto os USA vão "partilhando" armas e invadindo o planeta com hábitos gastronómicos cada vez mais patológicos, há bolsas de miséria espalhadas um pouco por todo o lado.
Se a guerra não tivesse o impacto que tem tido até hoje, talvez fosse possível captar recursos para atenuar a fome, diminuír as doenças, criar situações de maior justiça social.
A injustiça é a nota dominante no actual contexto socioeconómico do momento. Mesmo em Portugal assistimos a desigualdades gritantes nos domínios da saúde, da educação, do trabalho.
Enquanto uns se fartam de trabalhar, descontando do seu salário impostos e encargos de toda a ordem, há quem tenha regalias principescas e viva em "dolcefarniente" permanente.
Alguns que deveriam estar a trabalhar estão reformados há anos, à custa de compadrios e de situações expeditas roçando o tráfico de influências, outros, sofrendo de graves doenças do foro oncológico são coagidos a ir para o local de trabalho em situações degradantes!
Que de injustiças, que de arbítrios! Gente a trabalhar para alimentar uma elite que se aproveita de situações dúbias, de facilitismos de toda a ordem.
Quem critica estes excessos ainda pode ter que ir a tribunal justificar certos termos usados, pois a justiça que temos é muito célere a fechar os olhos aos excessos cometidos pelos políticos (derrapagens, buracos, desvios, compadrios, cambalachos...) mas abre-os em excesso quando alguém tem a coragem de chamar os bois pelos nomes...Dois pesos duas medidas.
O papa bem apela à partilha, bem discursa, mas na prática dá apoios aos governantes que por vezes adoptam políticas neoliberais geradores de injustiças tremendas. A democracia cristã, tantas vezes tem dado cobertura a actos de nepotismo (ai os "nepos"...) e de autêntica barbárie.
Perante este cenário de discrepâncias enormes, de injustiças bárbaras, que fazer?
Meter a cabeça na areia?
Não. Cada um de nós deve denunciar este estado de coisas. Deve assumir os riscos em defesa da autêntica liberdade geradora de autêntica justiça. Que Deus nos ouça.

sábado, agosto 04, 2007

ÁRVORES E... PESSOAS!


O menino-palmeira...
No olhar de uma criança
Há dois sóis, lá bem no fundo:
O sol da fé e da esperança
Em fazer um melhor mundo!
Há que ter fé no futuro
Pleno de esperança e de paz
Num horizonte mais puro
Que mais liberdade traz!
Nesta árvore da vida
Vemos verticalidade;
Dos temporais protegida
Com aprumo e dignidade.
Morrer, mas sempre de pé
Ela nos dá a lição,
Há gente que árvore é
Gente que não verga, não!

A diáspora, nua e crua...


As férias são "repouso de guerreiro", liberdade total, lufada de ar fresco!...
O regresso da Diáspora: é encher a alma de tanta saudade oculta, tanto amor à terra, é beber
o próprio ar; é ir à fonte e beber a água pura da nascente!...
Nesta euforia sadia
Neste rever Portugal
Nas asas da nostalgia
A amizade é mais plural!
Um copo de verde vinho...
Na alma penetra bem
Lá convive o Zé Povinho
Bebe saudade... também...
Só a ausência prolongada
Dá corpo a esta paixão!
Saudade da terra amada
É fornalha em combustão!...
Cada pedra ou monumento
No regresso tem mais cor...
O rosto até ganha alento
O sol alivia a dor...
Emigrar é sortilégio
Que o português bem conhece
Ser sonho ou ser privilégio
Depende... do que acontece!

O Terreiro danado do Paço "senhorial"...



A Regionalização seria a "cereja em cima do bolo"...
A Liberdade quer Regionalização mas
o Terreiro do Paço só quer "chapeladas"!
Eça de Queiroz, Alexandre Herculado, Guerra Junqueiro, Camilo Castelo Branco e tantos outros vultos da nossa História sempre criticaram o excessivo centralismo. Agora, mais do que nunca, se impõe uma descentralização autêntica. Isto é uma "bengalada" (à boa maneira eciana...) neste centralismo caduco que continua a amesquinhar-nos...
Quando a praga centralista
Bloqueia o nosso progresso
Esta gente masoquista
Resigna-se ao insucesso!
Centralismo exacerbado
Macrocefalia à toa...
Portugal sempre adiado
A reboque de Lisboa...
O poder está concentrado
Para o bem e para o mal
Nesse Terreiro danado
Do Paço "senhorial"...
Concentração abusiva
Desprezo pelo País
Burocracia lesiva...
O povo dobra a cerviz!
Os "barões" acobardados
Ao "status quo" dizem "sim!"
A Lisboa ajoelhados
Toda a vida foi assim!...
Regiões ostracizadas
Por legislação mesquinha
Só querem é "chapeladas"
Ao "baronato" alfacinha!!!

sexta-feira, agosto 03, 2007

JARQUIM QUER QUE SEJA MAIOR! VAI FAZER UM TRANSPLANTE!!!

O FADO DO TRANSPLANTE!
Quero fazer um transplante
Quero fazê-lo algum dia...
Sou infeliz, neste instante...
Isto não vai como eu queria!...

Peço ajuda a toda a gente

Nesta secreta ambição

Médicos do "Contenente"

Eu sei... que me ajudarão!...
Quero uma "coisa" maior
Julgo que tenho o direito
Sou o governante-mor
Mereço o maior respeito!
E não me levem a mal
Por querê-la bem pujante
Pedi ao Poder Central
Penso levar "isto" avante!...
Quero fazer um transplante!
Quero fazê-lo algum dia...
Sou infeliz neste instante...
Quero outra ... AUTONOMIA!!!

O mar, retrato nacional...








MAR PORTUGUÊS: MEU FASCÍNIO, MINHA AFEIÇÃO!
Ó mar, que vais nutrindo o nosso olhar,
Que vais inebriando toda a gente
Alguém pode deixar de ti gostar?
Tu que és tão puro e tão magnificente!
Tu que falas de heróis e caravelas
De martírios injustos, sem ter fim...
De sereias tão nuas e tão belas!
Gosto de ti, tão puro, sempre assim!
Fala-me de epopeias, de bravura,
Fala-me da saudade-Portugal
De Camões, de Pessoa, com doçura...
Não me fales, ó mar, de vendaval...
De corrupção venal, de ditadura!
Tu és, ó mar, retrato nacional!



quinta-feira, agosto 02, 2007

Francisco J. Viegas, filósofo em ascensão!!!




A "fome de justiça" é o novo alvo deste filósofo.
Especialista em gastronomia, ataca agora essa "doença terrível" a "fome de justiça social"...
VARIAÇÕES SOBRE O TEMA: INVEJA...
Tinha-o na conta de homem probo e corajoso. Tinha-o em alta estima pessoal pois me parecia focar aspectos que sempre me apaixonaram: defesa dos judeus perante o massacre nazi, defesa dos humilhados e oprimidos, defesa dos perseguidos pelo poder político e/ou económico. Enfim: era para mim quase um "guru".
Agora, ao ler uma coluna de opinião de um conhecido diário, fiquei perplexo!!!
No dia 30 de Junho sob a epígrafe "Uma desconhecida fome de justiça", ele insurge-se contra os políticos e jornalistas que se debruçam sobre o tema da justiça, de uma forma um pouco leviana.
Sei que por vezes há excessos mediáticos. Sei que por vezes se empolam temas para dar ênfase a coisas que não mereceriam tal ênfase. Critérios. Subjectividades. Eu próprio já apontei alguns excessos mediáticos que me chocaram de forma especial.
Nas vésperas das eleições locais (as últimas) um conhecido jornal publicou quase meia primeira página (a um domingo) de um comício em que interveio Ferreira Torres, candidato à câmara de Amarante. No interior, quase uma página inteira! Chamei a atenção do provedor do leitor para a questão da igualdade de oportunidades! Se em democracia todos devem ser tratados igualmente face à lei eu interrogava-me como é que em Amarante seria possível dar tratamento igual! E no resto do país se todos tivessem o tratamento VIP de Ferreira Torres não chegariam páginas do jornal para tanto.
Excessos há-os em tudo. Até na maratona gastronómica que o ilustre articulista-escritor vem fazendo na imprensa para gáudio daqueles que não podem frequentar restaurantes caros e saborear os néctares que ele vai divulgando com a mestria a que nos habituou. Eu próprio estou incluído no rol dos que não têm poder económico para isso. Daí o agradecimento em nome da "classe"...
Agora, ao falar de "fome de justiça", ele esquece que há nalguns casos em que chegam às instâncias judiciais apenas a parte visível do icebergue. São pequenos indícios que deixam vislumbrar muita coisa. Imagine FJV que era árbitro de futebol. Era surpreendido por uma escuta em que alguém (muito poderoso) lhe dizia: "Lembras-te Zé, do que se passou no verão passado? Então vê lá!... porta-te bem, senão..."
O que ficariam a pensar de si "árbitro FJV"? O que ficariam a pensar do que lhe fez o telefonema? Qualquer cidadão diria com os seus botões: "Aqui está o retrato robot de um corrupto e de um corruptor!"
É naturalíssimo este raciocínio. Importará, como é óbvio, aprofundar estas pontas soltas e confirmar (ou infirmar) tal hipótese.
Foi o que fez o Senhor Procurador de Gondomar, é o que faz a Procuradora-Geral-Adjunta encarregada do processo "Apito Dourado". Fazem apenas o seu dever. Fazem o que se espera que façam. Não andam a perseguir ninguém, não andam norteados por qualquer sentimento de "inveja" (como insinua o articulista). Procurar a justiça é dever de todo o cidadão bem formado, seja político, seja jornalista. Quem procura tapar o sol com a peneira anda obnubilado por sentimentos pouco nobres(clubite?amiguite? ).
Marx, esse filósofo que estudou e elaborou uma estratégia social destinada a minorar as discrepâncias na distribuição da riqueza, seria, um "invejoso"? Seria um cultor da "inveja" dos pobres contra os ricos? Aqueles que criticam os chorudos lucros da banca, em contraste com o pauperismo da população, e o estrangulamento das pequenas e médias empresas, são "invejosos"?
Os que criticam os regimes fascistas e nazis pela sua obsessão pela grandeza, serão "invejosos"?
Os que criticam a injustiça social que gera cada vez mais pobres para criar meia dúzia de ricaços que vivem na ostentação permanente, pouco contribuindo para o progresso colectivo, são "invejosos"? Não será a injustiça social fruto de pequenas injustiças que medram no dia a dia, nas empresas, no desporto, na sociedade em geral?
O processo "Apito Dourado" é apenas a parte visível do icebergue. A teia envolve autarquias, com as facilidades concedidas a certos "Midas" que funcionam como "padrinhos" e são capazes de criar distorções várias com o seu poder económico e a sua actuação "incentivadora" a vários níveis, incluindo o político.
Julgo que nós, os cristãos, estamos um pouco mais dentro da verdade do que os judeus, sobre esta matéria, pois Cristo sempre exaltou os que "têm sede de justiça".
Essa "sede de Justiça" é que fez desencadear o "25 de Abril", foi essa "sede de Justiça" que fez criar leis correctoras de injustiças várias, a nível de saúde, de escolaridade, a nível da trabalho.
Mas o trabalho é árduo e nunca estará concluído. Como diria o conhecido bispo D. Manuel Martins, "enquanto houver uma pessoa com fome, a minha missão não estará cumprida"!
Caro FJV, deixe um pouco a gastronomia e dedique-se à causa do pauperismo e da justiça social.
No desporto, há que combater as injustiças, quer elas estejam a norte quer estejam a sul. Há que extirpar esse polvo ignominioso que abastarda o relacionamentio democrático, há que erradicar as bolsas de corrupção que são como metástases degenerando até limites quase letais neste corpo colectivo que dá pelo nome de Portugal.

quarta-feira, agosto 01, 2007

A "REVOLTA" DA "MARIA DA FONTE"!!!




Sorrio, logo existo!!!
Eis o "Clã dos pensadores" e a líder carismática...
Com a foice-verborreia
E o machado-mediático
Querem divulgar a ideia
Que o Mendes é autocrático.
Ó "sulistas-elitistas"
Tende cuidado, senhores...
É hora de mil conquistas
Diz o "Clã dos Pensadores"!
Há valentins-valentões
De forquilha já em riste
Há "panteras e dragões"...
Nem Átila lhes resiste!
As "chamas" são imparáveis
Já se vê "terra queimada"
Mendistas são "inflamáveis...
E vai tudo... à bordoada!
"Maria da Fonte" vai
Lançar dardos ao Mendinho...
"Às armas!", gritai, gritai,
Vai Mendes p'ró pelourinho!
O "Norte"(1) vai abrir guerra
O ódio campeia à solta
Acabou a "paz na terra"
Há sementes de revolta!
É "dividir p'ra reinar!"
Sua suprema ambição...
Norte e Sul, há que extremar
É "Guerra da Secessão"!
Julga-se "elite", o "narciso",
Também "galo", o salafrário...
Mas... não passa de um "garniso"
Tem esporas... mas... de aviário!
Pacóvio "regionalismo"
"Maria da Fonte" exalta
Bacoco "messianismo"
Do "napoleão da malta"!
Do "norte" julga-se o "rei"
Só empáfia e petulância!
O povo... povo de lei,
Abomina esta jactância...
"Norte" - Julgam-se donos do norte. Como se fosse uma bandeira para uso pessoal.
Como se fosse um feudo exclusivo. Mas... o norte é mais forte!